quarta-feira, 27 de maio de 2015

Uma espécie de dieta

(mas não contem comigo para aderir à loucura das bagas goji

e das corridas)


 

Depois de o cabeleireiro-vidente me ter dito, com uma sinceridade constrangedora, que eu tinha passado este longo Inverno a vingar-me na comida, pensei em fazer dieta. Mas passou-me depressa, que eu sou uma pessoa muito dada ao conforto alimentar.

Entretanto, fui à consulta com o médico mais giro do mundo fazer os exames de rotina. A boa notícia é que o HPV está controladíssimo. A má notícia é que a nova pílula faz engordar uns quilitos. E o giraço achou por bem sonegar inicialmente esta informação, tendo em conta que é a única no mercado que eu posso tomar. Estava encontrado o culpado para os quilitos extra, que decidi heroicamente combater de imediato.

O primeiro passo foi anunciar a novidade aos homens da casa. Devem ter imaginado que iam passar a enfardar salada todas as noites, porque se ergueu um coro de vozes contra a minha dieta. Que estava óptima e linda e nada gorda e mãe (argumento do Vasco, o que quer que isso seja). O meu amor perguntou, então, como raio é que eu tencionava fazer tal coisa sem balança, nem espelhos. Sinceramente, não tinha pensado nisso. Excepto o espelhinho da casa de banho, não temos mais espelhos nesta casa. Quer dizer, há um todo catita no nosso quarto… mas como foi o meu amor que o fixou, está à altura dele e eu só consigo vislumbrar o toutiço em bicos de pés. A única solução é ir avaliando a perda de peso através da roupa. O meu amor voltou à carga: se eu já tenho tanta dificuldade em encontrar roupa para o meu tamanho neste país, o que faria se ficasse mais magra? Passava a ir à secção infantil, como sempre fiz. Lá lhe expliquei que só quero perder os quilos que engordei nos últimos tempos, porque a minha roupa me está a ficar um bocadinho apertada.

Driblados os últimos argumentos, o meu amor quis provar-me que era possível cozinhar de forma saudável para todos, sem ser preciso fazer “pratos especiais de dieta” para mim. Meteu mãos ao trabalho e preparou uma carne branca (com molho de natas), acompanhada por batatas (fritas) no forno, endívias (caramelizadas) e pimentos (salteados em azeite). Eis o primeiro prato que comi depois de entrar oficialmente de dieta. Percebi que isto ia dar mais trabalho do que eu pensava…

O Diogo ofereceu-se para ir ao supermercado comigo para me ajudar a comprar “coisas próprias para dieta”. Adoçantes é que não, porque viu um documentário na escola e descobriu que aquilo não é nada saudável. Fartámo-nos de olhar para os rótulos das embalagens e chegámos à brilhante conclusão que 100 gramas de qualquer alimento têm cerca de 400 e tal calorias. Mas é que é mesmo QUALQUER ALIMENTO… 100 gramas de peito de peru ou de rôti de porco com mostarda, 100 gramas de bolachas integrais ou de bolachas de manteiga recheadas de chocolate, 100 gramas de diferentes iogurtes ou queijos, 100 gramas de chocolate de leite ou de gelatina. Ficámos seriamente desconfiados que os produtores devem calcular a quantidade de calorias dos seus produtos um bocado ao calhas, algures ali entre as 438 e as 476 calorias por 100 gramas. Já na caixa, o Diogo descobriu entusiasmadíssimo um alimento excelente para quem está a fazer dieta, porque tinha pouco mais de 300 calorias por 100 gramas… gomas!

Resumindo, ao diabo a ditadura das balanças e dos espelhos. Ao diabo a loucura das dietas espartanas e dos alimentos light. Ao diabo a ajuda preciosa dos homens da casa. A minha dieta é uma coisa muito pessoal. Digamos que é uma espécie de dieta. Cortei no açúcar, nas gorduras e nos hidratos de carbono. Bebo mais água, como mais vezes ao dia. Passei religiosamente a dar todas as noites a volta ao lago, pelo caminho mais longo, com uma passada rápida. Tenho feito um esforço para dormir melhor. Ando nisto há quase duas semanas, sem grande esforço. A roupa já deixou de me ficar apertada. No entanto, a acreditar nos meus homens, estou prestes a desaparecer da face da terra, tal foi o emagrecimento fulgurante…

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Estar de dieta nunca é uma boa notícia, Gralha... ;)

      Eliminar
  2. Esse cabeleireiro vidente foi um achado, até fiquei com medo. Safa, um desconhecido que lê a alma. Vai lá,vai :)
    Quanto à questão da dieta, venho deixar a minha posta de pescada. Sou muito a favor de tudo feito com bom senso, sem exageros e modismos. Acho que estás a fazer bem, tanto que já vês resultados. Não é preciso passar fome nem gastar fortunas em bagas e misturas da moda, lá está...tudo com moderação e bom senso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, concordo contigo, Paula. Fazer dieta e embarcar em modas não é exactamente a mesma coisa.

      Eliminar