terça-feira, 10 de março de 2015

Serviço público para emigrantes

(onde se brinda ao regresso da feijoada com vinho alentejano)

 

Não sei qual é o sentimento que os portugueses têm actualmente em relação ao Pingo Doce. Vim para a Bélgica no rescaldo da cena de pilhagem no 1º de Maio. Mas ontem… ontem, senhores, se apanhasse o Soares dos Santos a jeito, dava-lhe um beijo. E dos grandes. O grupo Jerónimo Martins teve a ideia de génio de fazer uma parceria com a cadeia de supermercados Delhaize, no Luxemburgo. Agora, os produtos de marca branca Pingo Doce estão presentes nas principais secções do Delhaize, para gáudio de quase 40% da população luxemburguesa de origem portuguesa. E de todos os portugueses que vivem em França e na Bélgica, perto da fronteira.

O mais interessante é que os preços também são “portugueses”, por assim dizer. Não percebo nada de economia. Não faço ideia como é que se consegue vender manteiga dos Açores mais barata do que a manteiga produzida mesmo ali ao lado, na Bélgica. Mas, para nós, é absolutamente fantástico. Nem temos de andar feitos parvos à procura dos produtos portugueses, porque estão sinalizados com um galo de Barcelos todo catita.

O Vasco já tem as bolachas Maria e as gelatinas de que tanto gosta. O Diogo já se pode voltar a encher de chamuças. E arrematar com meia-dúzia de pasteis de nata quentinhos. O meu amor já não tem de esperar pelas férias para beber o tinto alentejano que adora. E eu… eu já posso voltar a fazer feijoada sempre que me apetecer, porque tenho onde comprar farinheira. Pode parecer ridículo, mas somos pessoas muito mais felizes.
 

[ Resta-me agradecer à Véro e ao meu pai, que nos foram mandando mantimentos de primeira necessidade que nos permitiram sobreviver de barriga cheia e reconfortada até agora. ]

4 comentários:

  1. Nada mau!!!! Mesmo nada, nada mau! Quando se está longe dá-se outro valor a estas pequenas coisas, essa é que é essa. Aproveitem :)

    ResponderEliminar
  2. Na Alemanha, ainda tens alguns supermercados e cafés portugueses... aqui, nem isso temos. Valha-nos a proximidade do Luxemburgo! :)

    ResponderEliminar
  3. Ainda não tinha acabado de ler o primeiro parágrafo e já estava a perguntar-me: "terá arranjado alheiras? terá arranjado alheiras?". Pronto, é esta a imagem que tenho de ti, como vês. E cavalos. Cavalos e alheiras.

    ResponderEliminar
  4. Gralha, devo dizer que tens uma imagem de mim muito próxima da realidade!!! Não creio é que isso abone muito a meu favor, mas enfim...

    ResponderEliminar